sábado, 5 de setembro de 2009

Estou pobre

Nostalgicamente lembrei do gosto das minhas ilusões.
A grande sílaba das minhas paixões.
O tilintar doce de tudo sob minha visão.
Como tudo era carregado de emoção!
Ah, tempo traiçoeiro.
Ladrão.
De tola sonhadora virei pobre mortal.
Acredito até no mal!
Tempo cruel.
Carrasco infeliz de fel.
Estou pobre.
Nostalgia de vivacidade juvenil me consome.
O que antes sobrava, derramava, hoje some.
A grande sílaba hoje é o só.
Aquele excesso que hoje virou mero pó.
Ah,tempo atroz.
Porque se porta como bicho feroz?
Insensível.
De tola crédula virei pobre mortal.
É fatal.
Estou pobre.
Resultado dos caminhos percorridos.
E dos desejos moídos.
Lágrimas rasgadas.
Igual páginas de versos esmagadas.
Ah, minha triste dor.
Por ti crio laços de amor.
Culpado Tempo!
Juiz inquisidor de mim.
Beija o início, cospe o fim.

5 comentários:

Eles e Elas disse...

Incrivelmente belo...

Visite-nos: www.amoreodiodelesedelas.blogspot.com

Tato Barba disse...

"Hoje, eu tenho apenas uma pedra no meu peito.
Exijo respeito:
não sou mais um sonhador!
Chego a mudar de calçada,
quando aparece uma flor;
e dou risada do Grande Amor!
MENTIRA!"

(rs)

Eu vou bem e você?
Espero que também. =]

Cuide-se!
Até!

Karla Moreno disse...

Lindo, lindo, liindo.. como sempre!

beijos grandiosos, querida..
Kakau =)

(marta selva) disse...

o tempo e a dorzinha amarga que ele vai deixando no palato.
as coisas vao mudando de gosto...

sempre lindo por aaqui
;*

Romyna disse...

Cheguei louca para devorar seus versos. Mas, de cara, vi que era preciso ter calma para saboreá-los. Faz algum tempo que não passo por aqui. E fiquei emocionada com o que vi. Acho que já te disse isso, mas é bom falar de novo: sempre me identifico muito com o que você escreve. Parece que descrevem, exatamente, os momentos por que passo.

Beijo imenso, imenso, imenso...

P.S. Tive em Copa no último feriado. kkkkkkkkkkkkkkkkkk