quinta-feira, 21 de maio de 2009

Talvez

Cansarei talvez
De esperar os gestos gratuitos de amor.
De chorar de saudade com dor.
De sonhar, sonhar e sonhar.
Irei me resguardar.
Nos líricos personagens de folhetim.
Criarei asas como um querubim.
E voar, voar e voar.
Perderei-me quiçá.
Nas cenas ternas dos filmes franceses e italianos.
Engolirei tempo e assim terei mil anos.
Talvez fuja do cansar.
Esperando ele envelhecer e nunca me alcançar.
É talvez...
Talvez seja eu só um risco no vinil, um grunir.
Aquele que não basta ouvir, precisa sentir.
Talvez não baste só existir.
Quem sabe seja eu um suspirar.
Aquele depois do prazer e não de cansar.
Um revoar de cheiro que o vento vem soprar.
É talvez..
Mas eu não seria tanto poetizar.
Permito-me apenas imaginar.
Porque depois cansarei.
Talvez.

Um comentário:

A.M.A. disse...

Amiga linda, dediquei um selo pra você no meu blog.
Passa lá e tras ele pra cá!!!
Ah, e siga as regras descritas à baixo, tá? rssss
TE ADORO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Beiju beiju e beiju grandalhão!!!!!!!!!!!!!