quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Calado

Calado vc se aproxima.
Derruba minha força e rima.
Entrelaça os dedos nos fios do meu cabelo castanho.
E até o leve repuxar eu não estranho.
Ensaiamos sorrisos cúmplices de desejo.
Fecho os olhos e nem vejo.
Sinto seu rosto deslizar.
A barba mal feita á minha pele tripudiar.
Seu prazer.
Meu gemer.
Toma minha boca de forma sutil.
Mas tua língua não é nada gentil.
E cruzamos a respiração. Acelerando as batidas do coração. Sem descuido abre os botões da minha blusa.
Trato de abrir o zíper da calça que no momento usa.
Segundos, minutos, roupas entregues.
No meu corpo o sussurro: me pegue.
Sem pedido invade-mes delicadamente.
A cada possuir o testemunho dos inanimados.
A contaminação dos nossos corpos embriagados.
A tua paciente e generosa espera.
O auge dos dois por tabela.
E do jeito que chegaste se afasta.
Terminantemente o silêncio nos basta.
Aonde todo um resto importa.
Qualquer letra corta.

6 comentários:

Henrique disse...

ui ui ui Eulália!

é bom acreditar, ou apenas tentar.

Beijos de barba mal feita! huahuahuuauaha


valeu pelos comentários, estou meio sem tempo... até

Tangerina disse...

'A barba mal feita á minha pele tripudiar.'

♥ preciso dizer nada.

Tato Barba disse...

Olá, tudo bem?
Espero que sim.

Ual! Quanto erotismo!

É interessante notar as mudanças que, não conflituam com a essência de seus textos.

Erótico, visualmente tangível e, sensivelmente tocante.

..................

E, quantos comentários a respeito da "barba mal feita"... (rs)

A minha barba já passou da fase "mal feita" há muito tempo! (rs)

Até!

Colecionadora de Memórias disse...

Gostei.

Aline Vargas disse...

Muito show, amiga!
Erotismo suficiente, medido.

Já te disse que adoro tua brincadeira com as palavras, né?

Bjos carinhosos!!!

Karla Moreno disse...

Nao me canso de dizer: seus textos sao smp os melhores!

eu me imagino dentro de cada um deles, por mais inocente q eu seja rs.
suas palavras entram na gente como flashs, é impactante. adoro!

beijos,
kakau.