segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Solidão

Solidão forçada.
Aquela sem pedidos.
Meio marcada.
Que te pega pelo pé, pela mão.
Faz fogueira no coração.
Dá pra ver?
Dá não.
Esse tipo faz internamente a destruição.
Te cobre, te arrasta, te bate.
Pior que fúria da noite que late.
Mas dá pra cheirar um resquício de paz compreende?!
Como o lírio que pode nascer do lodo, entende?
Solidão diferente.
Que faz brotar.
Mas vem ao mesmo tempo arrancar.
Como o vento que muda de velocidade.
Vc nem ousa tentar medir.
Só sensivelmente pode sentir.
Sem escolhas, vontades ou opções.
Só escuta as emoções.
Soli-dão.
Sola- mente só.
Reduzindo tudo a pó.

5 comentários:

(marta) disse...

adoro a solidao que faz a gnt pensar e no final de tudo tem lirio nascendo do lodo, rosa surgindo do concreto.

**ai eu sumo memso :i com a correria da vida eu tento postar pelo menos uma ou duas vzs no mes :i..

;*

Tato Barba disse...

Olá, tudo bom?
Espero que sim.

Estou com o link novo:
www.numcafepequeno.blogspot.com

Até!

Nyc!nha Angel disse...

Lindaaaaaaaaaaaaa..Saudades de vir aqui, não estava conseguindo entrar no meu blog...só estou conseguindo pelo PC do meu irmão.
Q bom q gostou do novo visual do BLOG...

Quanto a "Solidão" adorei, tocante como tudo oq escreves.. acho q me identifiquei tbm pelo momento em q estou, rsrs.. adorei como fazia as perguntas e as respondia em seguidas...fantástico.. adorei mesmo!

Henrique disse...

voltei

você não deve namorar, você deve se inspirar com pessoas para compor seus poemas, eles sim você ama e tem compromisso eterno!


beijo grande

Tato Barba disse...

Oie, pois então, o meu link antigo expirou.

Agora, estou com esse:
www.numcafepequeno.blogspot.com

Apareça!

=)