sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Pego ou fico olhando?

Iiii caiu!
Pego ou fico olhando?
Enxugo ou deixo sangrando?
Ainda mexe-se, dá uns pulinhos.
Parece até que têm pezinhos.
Mexe-se pouco agora.
Só falta uns segundos para o fim da grande hora.
Parou.
Sinto sua falta desenfreada.
Sem ele sinto-me meio violada.
Pego ou fico olhando?
Quem sabe num suspiro ele volte ressucitando.
Dá pra costurar?Será?
Como faço pra não desmontar?
Parece feio assim de longe.
Solitário, parado, calado, feito monge.
Estou me afastando.
Meus pés têm dificuldade de sair andando.
Falta-me o ar de repente.
Será que estou doente?
O chão parece perto.
Deitar nele parece certo.
Estou na mesma altura dele.
Fôlego curto aquele.
Parou.

6 comentários:

Henrique disse...

se amor é sentir, vc já conceituou, te peguei!

Desejo não é desejar, prove que não é! hjauahua

com calma voltarei para comer esse seu poêma

Tato Barba disse...

Olá!
Obrigado pela recepção!!!
Fico feliz que esteja bem.

Quanto a mim, estou bem também =]

Agora, quanto ao poema, poxa! Que triste!

É tão dolorido; cadenciado com palavras sonoramente e significantemente tristes.

Enfim, já dizia o poetinha: "O amor só é bom se doer"

Abração!

Tato Barba disse...

E se é dor que tu sentes...
Torne-a, ao menos, produtiva!

Tato Barba disse...

Poxa, eu sinto muito!

Heei! Mas as coisas vão melhorar!

E vai ficar tudo colorido de novo! =]

Fique tranquila!

Abração!

Henrique disse...

eu idiota fiquei pensando... o que? o que que caiu?!

depois de ler tudo, vou vejo a foto!


dã~~aãã~

o coração!

rs

beijos

Sara S. disse...

Realmente é um poema que transmite um sentimento um pouco negativo. Eu cá acredito que todos nós contemos, nem que seja um bocadinho, de força para restaurar esses danos causados ao coração. Um beijinho