sexta-feira, 9 de maio de 2008

Vou te conceder um pedido

Vou te conceder um pedido
Veja bem, o que vai pedir, é um só!
Uma nota de Ré ou Dó?
Posso ser sua melodia.
Dentro do que me conheces
Vai saber o que (quem sabe) te apeteces.
Vou te conceder um pedido.
Um pequenino como um grão de feijão
Posso ser uma faísca contaminante no teu coração.
Ou uma grande marcha de gente animada por um ideal
Posso ser um doce e irresistível mal.
Veja bem, o que vai pedir, é um só!
Não to te pressionando
Só sinceramente avisando.
Não sou de muitos
Veja o que vai pedir, veja bem.
Não és meu refém.
Não me acuses, to dando-lhe a chance de escolher.
É simples, é analisar o teu querer.
Depois observar se encaixa-se no meu querer
E voilá!
Mas lembre-se é um só pedido.
Mesmo que no fim sinta-se arrependido.
Jamais me acusará de ser iludido.

3 comentários:

Keidy Lee Jones disse...

Mesmo que no fim sinta-se arrependido.
Jamais me acusará de ser iludido.

Lindo! Lindo!

Muito bom o poema, o tema é muito original.

henrique bastos disse...

eu quero a escala inteira de C maior!

Nyc!nha Angel disse...

Poema lindinho!
O seu blog está add nos meus favoritos !
Obrigada pelas visitas!