quarta-feira, 25 de junho de 2008

Senta aqui e me faz rir.

Senta aqui e me faz rir.
Chega desse papo de “você que tem que vir”.
Senta aqui e me diverte.
As minhas palavras vc sempre inverte.
Sossega.
A sinceridade quase sempre é cega.
Senta aqui e me faz sorrir.
Sem limites, sem discutir.
Vou te amar.
De vc vou querer nunca me soltar.
Meu riso vai ser feliz.
E o amor ficará pra depois.
Sossega minha impaciência.
Simplesmente me faça rir.
Esboço da alma pra sentir.
Preciso do meu mais o teu.
Juntos.
Só pra existir.

4 comentários:

Nyc!nha Angel disse...

"A sinceridade quase sempre é cega"
Não é q é verdade... rsrsrs...Tão cega ela, q as vezes bate nos outros sem se dar conta do q e com q está batendo, TOtalmente CEGA!!!
Adorei a visita...Volte sempre!

Tato Barba disse...

Hei, adorei seu "estilo peculiar" para a poesia...
Leve e requintada!
Parabéns!

Visite quando puder:

cafpequeno.blogspot.com

;)

Tato Barba disse...

Obrigado pela visita!
Adorei a percepção aguçada para os meus poemas!
E sobre os vícios, bem, mais e mais afinidades....rs

Até!

P.S - "Senhor Barbudo" foi ótimo!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Valeu! Até!

Naná disse...

Me faz rir pq ñ suporto + chorar por ti.

Jeito descontraído de expressar o dolorido.