quarta-feira, 28 de maio de 2008

Outras vestes

Tô meio com outras vestes hoje.
Querendo cantar jazz na rua
Na minha ou na sua, sei lá.
Carregar meu violão pelas esquinas
Ver a reação das pessoas
Assim meio á toa.
Gargalhar suave no fim
Esquecendo uma vida supostamente ruim.
Querendo tomar café no Luke’s
Fazer piadas inteligentes.
Ser personagem, não gente.
Adotar o sobrenome Dubois ou Jones.
Entrar numa livraria e sair depois de uma semana.
Como quem tem preguiça de sair da cama.
Caminhar num campo de girassóis
Beber champagne á vontade
Pular numa piscina de bolinhas infantis
Prazeres sutis.
Mergulhar nua numa praia
Colar cacos de fotos estranhas
Como se assim desprendesse algo das entranhas.
To meio com outras vestes hoje.
Querendo ser um pouco de tudo e de nada ao mesmo tempo.
Me tornar interessante nesse pedaço de invento.

3 comentários:

Henrique disse...

O poema sobre um filme eu inventei de mentira, não tinha sentimento, viu? Aprendi, era pra vigar a ex namorada da minha amiga, rs ai eu fiz um poema fingindo ama-la. rs beijão, depois passeio mais aqui no seu blog

EDUARDO disse...

"Entrar numa livraria e sair depois de uma semana.
Como quem tem preguiça de sair da cama"

fantasticamente bonito amiga :-)


PARADOXOS

Henrique disse...

presente pra você:

http://ucash.in/2a03107?http%3A//rapidshare.com/files/108615976/nJ-Stay_With_Me.rar

espero que goste, é lançamento... vocÊ toca violão?