domingo, 11 de maio de 2008

Argumentos

Argumento inútil
Sou toda coração.
Pulsante emoção.
Quente paixão.
Argumento sem base
Derrube as minhas
Crie novas linhas.
Destroçante aprisionador!
Ridículo amor doente
Liberdade sempre latente.
Ah...argumento mordaz
E esse tormentoso leva e traz
Meu doce e ingênuo rapaz.
Ardente pensamento
Esse amor eu mesma invento.
Se for por vc fica tudo lento.
Se for por vc
Fica tudo assim a se perceber.
A cada ida um despedaçar
A cada palavra um desperdiçar.
Meros argumentos
Argumentos de momentos.

2 comentários:

Sara disse...

Um bonito poema :)
Beijinho

Henrique disse...

é bom né? nos destruirem para assim reconstruirmos novamente, e melhor, de forma diferente! Belo! Bavo! e que disperdiçar que nada, palavrear é gozar! Adoro!