sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

É só um texto

E hoje não tem poesia,
a casa tá vazia
É só um texto.
o silêncio tá incomodando,
o coração maltratando
mas minha alma afagando.
vai entender
não entenda
cansada de procurar o que me surpreenda.
E hoje não tenho ânsia,
há uma grande distância.
É só um texto.
passou o dia me conflitando
minha cabeça destroçando
meu coração pulsando.
Precisava de palavras
mas sem ter de pedir.
precisava de gestos
sem ter que insinuar.
por um minuto que fosse.
Não existe esse grande felicitar
e nem nos basta só gostar
sempre se quer um enorme dedicar.
A ilusão sempre é mais doce
tô cansada do fel da realidade.
Vou pular dentro da bolha
quero a fantasia colorida
tô cansada dessa imagem cinza.
E hoje não têm versos
a fragilidade nunca esteve exposta
as feridas é que não se fecham.
Não é o que falta que incomoda
é a inércia do que já existe!
Avaliar o que se perde já é perder
tentar elucidar dúvidas já é colocar á prova.
nem a vida têm garantias de sucesso.
E hoje não têm expectativas
mas as células estão sempre vivas.
É só um texto.
A transparência conquista
sem deixar qualquer pista
e sem precisar sequer que insista.
sentimentos gratuitos são insubstituíveis
se sinceros, irrecusáveis
sempre louváveis.
A falta de sentimentos protege
mas de se viver impede.
prefiro arriscar-me
nas verdadeiras e fortes tentativas que me invadem.
E hoje apertos na alma roubam-me
mas...
É só um texto.
(Eulália Marques)

Um comentário: