domingo, 4 de novembro de 2007

Nova existência

A crise tem se amenizado, o que será que houve?!Desisti de procurar a resposta, talvez crise de uma metida a maluca. Gostaria de viver numa existência superiormente interessante,fico achando essa atual muito entediante.As cenas alheias sempre são melhores, mais vivas, mais sentidas, com toda uma carga de drama...totalmente cinematográfico.Mesmo as montagens e existem aos montes parecem mais interessantes. O amor é mais sublime, mais brilhante, mais de verdade.Ta amor assim existe só nessas cenas mesmo...rs.Aliás ainda existe "esse" tipo de amor? daqueles onde o outro transforma tudo em cena de cinema? Amor ta meio produto de supermercado, eu acho, algo meio comum, meio clichê, e não que eu tenha algo contra.Mas minha idéia de amor ( nada ver com paixão) é algo superior a vc, algo que faz vc desistir de pensar no seu bem querer, na possessividade de ter o outro....simplesmente em prol do bem estar do ser amado.Ou seja: isso não existe!(parece propaganda de cerveja...ou seja) Aquele amor dos nossos avós, pra vida toda não existe virou demodê! A nova existência é de consumo rápido, como efeito de sei lá o que.Goste instantâneamente,use, mas não se apegue.Algo como lema de puta: tudo menos beijo na boca, muito intimo. Na nossa sociedade é assim, tudo menos sentimento, ou então sentimentos sim mas só por si próprio e de vaidade ao extremo! Nossa.... Nessa nova existência, superiormente interessante, as coisas são simples, de verdade, sentidas, demonstradas.Preciso urgentemente dar um tempo por lá! Cansada desse mundinho....urgh!Infelizmente vivo nele...mesmo sem aceitá-lo, sem conseguir tirar dele tudo que preciso.Começo a ter certeza que meus filhos (se os tiver) vão sofrer mais que aproveitar. Nos fones: Everybody hurts - REM

2 comentários:

Rogério Felício disse...

Relaxa menina...continua ouvindo Everybody hurts...rsssss

Rogério Felício disse...

Relaxa menina...continua ouvindo Everybody hurts...rsssss