quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Doente

Queria escrever algo que te tocasse.
Ou me afogasse.
O derramado da inspiração não me alcança.
Nem mesmo o teu desejo por mim dança.
Queria as frases de Chico no teu olhar.
A me desconstruir, alucinar, mas sem matar.
Queria palavras delirantes agrupando-se em combinações.
Simetria de abalo nas mãos.
Queria me perder nas rimas como antigamente.
Mas vc secou a libido ortográfica da minha mente.
Me sinto doente!
Sentindo febre de falta poética.

3 comentários:

A.M.A. disse...

Doença consentida carnalmente?
Físca ou mental?

E a ti, qualé o pente que te penteia?

rsss

Mário é apenas um detalhe de um todo.
Papo pra outrora, ok?

R. Avancini disse...

Doente?

doente, assim, sem mente, mente, sem saber, bem rente, sempre assim, repente, tente. E quando não houver mais lente que te apresente, reinvente.

fica a dica.

___Maio___ disse...

Ando tão doente quanto...!!!