sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Simplesmente o que sou

O que vejo por debaixo da pele é grandioso demais
e o que vale mais que a paz?
Já não sei nem o que estou atrás.
Têm horas que só faz o bem captar
e outras dilacera profundo, me fazendo chorar.
Aquilo que dói está purgando realidade e frustração
realidade totalmente vazia de qualquer sentimentalização
frustração pelo vazio daquilo que queria como realização.
Despida de qualquer sonho, me olho de forma cortante
essa nudez é necessária, mas desencantante.
O que vejo de olhos fechados é mais acalentador
não é a claridade que causa dor,
é simplesmente o que sou.
(Eulália Marques)

Um comentário:

Rogério Felício disse...

Simplesmenete belo e forte!!!