quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Cansada

Cansada de dar chance
a vida não é feita de lances
quero o profundo
a cena de cinema mais perfeita
cansada de esperar
o bom momento chegar
quero o agora e o depois
como a união perfeita do feijão com o arroz
cansada de lutar
e a sorte acreditar
quero os momentos de luz
sem ter de crer que vale o peso da cruz
cansada da vida comum
quero a graça das comédias românticas
como o dançar das palavras nas semânticas
(Eulália Marques)

3 comentários:

Eduarda disse...

Oi, Eulália! :)
muito obrigada por ter lido a mensagem, não ter ignorado e, acima de tudo, ter tido a paciência de ler e comentar sobre o que leu no meu blog :) muito obrigada mesmo!
eu mandei as mensagens pelo orkut porque o blog não é muito conhecido, mas foi mesmo com pouca esperança de que adiantasse. mas com o teu comentário já valeu a pena!
teus poemas são lindos.
está convidada a ler e comentar no Digressão sempre que quiseres. eu farei o mesmo por aqui.
um beijo!

Eduarda disse...

http://digressaopassional.blogspot.com

Rogério Felício disse...

Suas palavras entram na minha alma como águas de chuvas em terra seca...

beijoks